domingo, abril 24, 2005

Microeconomia e Crescimento Econômico

Voltando um pouco ao tema da educação, mas mudando o foco...

Muita gente acha que microeconomia e crescimento são duas palavras quem não tem muito a ver uma com outra, mas isso é um erro. São inúmeros os estudos que mostram uma relação positiva entre a produtividade média de uma nação e seu crescimento durantes os anos que se passam. Empiricamente, o que se observa é que os países com um PIB mais elevado e, consequentemente, com uma população desfrutando de um maior bem-estar, têm altos níveis de produtividade média. Ou seja, quanto maior a capacidade de uma sociedade produzir bens e serviços, maior será a riqueza gerada por ela e maior o bem-estar que essa mesma sociedade usufruirá.

Porém da onde surge essa relação? Quem estudou microeconomia sabe. Porém nem todo mundo é estudante de economia, então tentarei elucidar alguns conceitos básicos para o entendimento do que irei falar. Toda empresa se depara com custos ao produzir seus produtos. O Custo Total de uma empresa é formado pelo seu Custo Fixo e por seus Custos Variáveis (aqueles que variam de acordo com a quantidade produzida pela firma). Além desses, um dos mais importantes é o Custo Marginal (CMg), que é aquele custo adicional que se tem ao produzir uma unidade a mais do produto. Veja bem que o CMg resulta de uma variação do CV, uma vez que o CF é constante, não importando o nível de produção. Bem, mas o que isso tudo tem a ver com a produtividade e o bem-estar de uma sociedade?

Peguemos uma firma-exemplo que só pode aumentar sua produção através da contratação de mais mão-de-obra. Seja w o salário/remuneração do trabalho/insumo, sabemos que o CMg (ou seja, o custo adicional que se terá para produzir mais uma unidade) vai ser [w.L], onde L é a quantidade de mão-de-obra a mais contratada. Digamos que L seja 1, que a produtividade desse trabalhador seja de 5 unidades por hora e que seu salário seja R$10 reais por hora. Fazendo uma conta simples, chegaremos a conclusão de que o CMg da empresa é de R$2 por unidade a mais produzida (R$10 dividido por 5 unidades). Pois bem, imagine que, por algum motivo, a produtividade desse trabalhador aumente de 5 unidades por hora para 10 unidades por hora. O que acontece? Fazendo a mesma conta que anteriormente, verificamos que o CMg da firma cai pela metade, passando de R$2 para R$1! Com isso, a empresa estará livre para contratar mais pessoas para trabalhar, terá uma produção maior a um custo menor e, assim, gerará mais riqueza e bem-estar para a sua sociedade, uma vez que os salários dos trabalhadores aumentarão.

O simples exemplo acima mostra que investimentos em educação (principalmente em nível básico) e em profissionalização das pessoas é a ferramente chave para que um país possa crescer de forma sustentável. O aumento da produtividade de uma sociedade é o principal mecanismo que podemos utilizar para diminuir a pobreza extrema, gerar riqueza e diminuir a desigualdade social.

2 Comments:

Anonymous Felipe Garcia said...

Caro Philipe:
A teoria econômica nos ensina com precisão que o crescimento da produção se dá através do aumento da produtividade dos fatores que compõe o processo produtivo. Já é mais do que uma certeza que a política econômica não gera crescimento. Ainda bem, que desde que foi instituído o plano real, nossos gestores de política econômica sabem disso.

8:58 AM  
Blogger Filipe Alves Ferreira said...

Caro Felipe Garcia,

À volta da teoria económica muito se tem aumentado a confusao reinanye e simlesmente derivada (como pretendo...) do esgotamento da motivaçao à poupança. Esgotamento que era previsível, já que :
- Quem o gasta, nao o poupa nem investe ;
- Quem o poupa nem o investe nem o gasta ;
- Quem o investe, nem o gasya nem o poupa.
e 1 motivo produz hesitaçao e incerteza ma escolha do gesto económico que é sempre contraditório com os outros 2 possíveis mas obrigatóriamente a nao poder ser praticados ao mesmo yempo e com a mesma parcela de dinheiro que queremos orientar.
Acresce que no caminho da verdadeira liberalizaçao, aparecem sempre as medidas de conciliaçao politica. E a Economia a 3 gestos, apodreceu com os exageros financeiros, etc.
A salvaçao, é entrarmos decididamente na Economia a 4 gestos. E "datavalorizar" dinheiro para obter um "datavalor".
Aconteça a minha criaçao Economia 4G.

10:06 AM  

Postar um comentário

<< Home